quinta-feira, 23 de junho de 2011

A política de Aracruz é uma...


Estarrecedora as notícias veiculadas na imprensa nesta quinta-feira, 23. Confesso que me acho cada vez mais ingênuo por pensar que as denúncias e afastamentos anteriores do prefeito e alguns vereadores fariam que os demais mudassem postura e se preocupassem em terminar os mandatos zelando pelos princípios constitucionais que devem nortear toda administração pública: impessoalidade, moralidade, legalidade, eficiência, publicidade, economicidade e razoabilidade, dentre outros.

Enquanto funcionário público, me preocupo em pré-julgar a partir de exposição midiática que ainda não foi devidamente apurada, com zelo no também princípio constitucional da legítima defesa e amplo contraditório. Nesse quesito, sempre fico muito pé atrás com as notícias que são antecipadamente veiculadas pela imprensa, pois no mais da vez, não é dado a outra parte da história o direito a resposta e, pior, dificilmente se publica o resultado das apurações, principalmente se confirmada infundadas.

Mas, com todas as reservas possíveis, difícil não comentar, principalmente ante a quantidade de escândalos em uma mesma legislatura e no mesmo município.

Como munícipe, sinto-me envergonhado, constrangido, por tantas denúncias contra pessoas muito próximas, outras nem tanto, mas todos depositários da confiança do eleitor.

O que acontece em Aracruz e em outros municípios Brasil afora só vem reforçar uma minha teoria (quiça de outros também) de que no Brasil, as câmaras municipais são de fato verdadeiros ralos de dinheiro público. Considero-as desnecessárias, principalmente nos municípios com pequena demografia - com menos de 200 mil habitantes, e com pouca arrecadação devido a pouca diversidade econômica.

Considero uma das principais causas o sistema de indicação política do tribunal de contas do Estado, o qual deveria ser um órgão totalmente técnico e independente do Estado, subordinado diretamente e exclusivamente ao Tribunal de Contas da União.

Enfim, que as denúncias sejam apuradas com rigor, para que a frase que dá título a este artigo seja completada com adjetivos que honrem a sociedade aracruzense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário