quarta-feira, 14 de julho de 2010

A história de Cristo


Conheci uma música que por me levar a uma reflexão mais profunda mudou meu modo de pensar e minha relação com a pessoa de Jesus Cristo. Não poucas vezes me emocionei ao ouvi-la entoada, à capela, pelo meu saudoso tio Dizinho (Edson Santos Cordeiro).
A letra diz:
Sempre que leio a história de Cristo, fico a pensar com grande emoção no privilégio que muitos tiveram, de ver o seu rosto, sentir sua mão. Oh, como eu teria a mesma alegria de vê-lo bem perto, bem juntinho a mim. E ao ver as gravuras, nos quadros pintados, daquele que dizem ser o meu Senhor. Meu ser não aceita o que está na tela, é falsa a inspiração do pintor. Não creio, não creio, num Cristo vencido, cheio de amargura, semblante de dor. Eu creio num Cristo, de rosto alegre, eu creio num Cristo que é vencedor. Um dia também, eu o verei face a face. Assim eu creio, pela minha fé. Oh, aleluia, verei o seu rosto, verei a Jesus, como ele é.
Para mim, além de poesia, uma declaração de fé. Foi transformadora em minha vida por me levar a pensar qual Jesus eu estava adorando. A questão foi também direcionada aos discípulos: “Quem vocês dizem que eu sou?” (Mc 8.29). E você, o que diz hoje: Quem é Jesus para você?

Um comentário:

  1. Wallace,
    Também fiz parte desta deliciosa fase quando ainda éramos adolescentes na 1ª Igreja Batista em Barra do Riacho;
    Me lembro com muita alegria e também algumas saudades aqueles hinos do cantor Cristão, onde na ocasião toda a Igreja abria o seu coração para Louvar o nosso Redentor.
    Me deixa muito triste quando vejo nossas Igrejas deixando de lado estas maravilhosas poesias.

    jairo

    ResponderExcluir